ago 16

I Simpósio Internacional de Inovações no Tratamento das Doenças Coronarianas e Estruturais

17 e 18 de Agosto

O I Simpósio Internacional de Inovações no Tratamento das Doenças Coronárias e Estruturais, propiciará um melhor entendimento das indicações e estratégias clínicas e intervencionistas das afecções mais complexas do coração, tais como obstruções em tronco de coronária esquerda, pacientes com síndromes coronárias agudas, pacientes com alto risco de sangramento e indicação de intervenção coronária, assim como as abordagens percutâneas na estenose aórtica (TAVI), insuficiência mitral, fechamento do apêndice atrial esquerdo, forame oval e outros.

Os tópicos serão discutidos em um formato dinâmico e interativo, envolvendo apresentação de casos clínicos, palestras ilustrativas e debates, no intuito de trazer a informação e aprimorar a incorporação de novas tecnologias na prática clínica.

 

Objetivo:

Apresentar e discutir, de maneira prática, as novidades na abordagem intervencionista das principais patologias cardiológicas.

 

Diferencial

Presença de palestrante internacional.

 

Público-alvo

Profissionais da saúde, cardiologistas clínicos e intervencionistas, cirurgiões cardiovasculares, acadêmicos e residentes, enfermeiros e equipe multiprofissional, que tenham interesse em se atualizar nas estratégias mais recentes da cardiologia transcateter.

 

Presença do Prof. Augusto Scalabrini. 

ago 16

III SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE SIMULAÇÃO CLÍNICA DA ABRASSIM

O III Simpósio Internacional de Simulação Clínica da Abrassim que irá ocorrer nos dias 05 e 06 de outubro de 2018, na sede da PUC-PR, foi mais uma vez desenvolvido para proporcionar a todos nós docentes e profissionais de saúde uma oportunidade de participar de um evento específico ao tema e com alto nível científico.

Este evento trará também um momento de mudança de gestão da Abrassim, um grande ciclo de 10 anos que encerra para mim e se inicia a um novo grupo, cheio de garra e com vontade de fazer a Abrassim crescer ainda mais. Lembro quando éramos apenas 10 pessoas em uma sala de aula tentando convencer outros colegas que esta estratégia valeria muito a pena se bem feita. O tempo voa e ter tido a iniciativa de criar este evento que agora faz parte do nosso circuito anual científico me traz grande satisfação pessoal e profissional.

O Simpósio reunirá importantes palestrantes nacionais e internacionais, discussões diversificadas e cursos pré simpósio com o objetivo de contemplar as diferentes demandas desta estratégia educacional que cresceu tanto nos últimos anos.

Cantaremos com a presença do Cardiologista Prof. Augusto Scalabrini. 

 

 

jun 14

Simulation User Network

Missão:

Ajudando a salvar vidas

Visão:

Ninguém deve morrer ou desenvolver uma deficiência em decorrência de doenças, durante o nascimento, traumas ou erros médicos.

A Laerdal tem influenciado o aperfeiçoamento das pesquisas e a implementação de práticas para apoiar nossos princípios básicos, incluindo o Estilo de Utstein Formula for Survival,  Cadeia de Sobreviência e o Círculo de Aprendizagem.

Aplicamos o conhecimento baseado em evidências para desenvolver e continuamente aperfeiçoar nossas soluções de produtos e serviços. Acreditamos que podemos causar um maior impacto para ajudar a salvar vidas com nosso trabalho, aprimorar a eficácia educacional e a implementação local.

ELA PRIMEIRA VEZ NO BRASIL

SAVE THE DATE

14, 15 e 16 de junho de 2018
Local: Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa
Rua Professor Daher Cutait, 69 – Bela Vista
São Paulo – SP – Brasil

 

CONGRESSO DE SIMULAÇÃO CLÍNICA REALÍSTICA

O SUN BRASIL 2018 – Simulation User Network é um dos mais tradicionais eventos de simulação clínica realística, que permite com que mais de 300 profissionais ampliem o conhecimento e a rede de contatos. O evento ocorre há mais de 10 anos nos Estados Unidos e terá a sua 1º edição no Brasil, nos dias 14,15 e 16 de junho de 2018 no Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa em São Paulo.

Uma ótima oportunidade para amplicar o conhecimento e conectar-se com os líderes e especialistas que são referências nos assuntos. Teremos a presença de renomados palestrantes nacionais e internacionais, sessões plenárias, mesas redondas, workshops, encontros com especialistas e apresentações de postêres científicos. As atividades do SUN BRASIL foram selecionadas para ajudar você, a avançar nos programas de treinamento de simulação em todas as disciplinas da saúde.

Com palestra do Médico Augusto Scalabrini

 

jun 04

Dúvidas frequentes sobre a FIV.

O que é a FIV?

É um processo em que a fecundação (encontro do óvulo com o espermatozoide) ocorre fora do útero materno, em laboratório. Depois, o médico transfere o embrião para o útero da mulher.

Por que ela é necessária?

Porque alguns casais apresentam problemas de fertilidade e não conseguem engravidar naturalmente. Estimativas apontam que, no geral, em 40% dos casos o problema é com o homem, em outros 40% é com a mulher e, em 20%, é com ambos.

Quando recorrer a FIV?

A recomendação geral é que mulheres de até 35 anos tentem engravidar naturalmente por um ano. Se após esse período o casal não obteve sucesso, é preciso investigar o motivo. Para mulheres com mais de 35, as tentativas naturais devem acontecer por seis meses. Se nesse meio tempo a gestação não acontecer, procure um especialista para avaliação. Pode ser, por exemplo, baixa reserva ovariana da mulher (poucos óvulos disponíveis) ou problemas de qualidade e quantidade dos espermatozoides do homem, entre outras questões – mas isso não quer dizer, necessariamente, que a FIV é a única saída. Às vezes, fazer uso de comprimido indutor de ovulação basta para engravidar naturalmente.

O Doutor Armindo tem um site RECHEADO de dicas para mulheres que estão passando por esse difícil e, muitas vezes, longo processo. O seu BLOG tem muitas dúvidas que já foram sanadas. Ele também responde sempre pelo seu facebook e intagram. 

maio 17

AUA 2018 – SAN FRANCISCO

Não perca a Reunião Anual de 2018 da American Urological Association, de 18 a 21 de maio, no Moscone Center, em San Francisco! A reunião do ano passado deu as boas-vindas a mais de 16.000 participantes de mais de 100 países em todo o mundo, ressaltando o valor da reunião para a comunidade urológica global. O encontro deste ano contará com mais ofertas inovadoras de programação e educacionais do que nunca, oferecendo acesso incomparável a pesquisas inovadoras, as mais recentes diretrizes clínicas e as mais avançadas tecnologias em urologia!

Explore o extraordinário programa deste ano!

Use as ferramentas na navegação à esquerda para explorar nosso programa. Ordenar por tópico, palestrante, tipo de programa, dia e mais!

Aqui estão alguns destaques:

  • Mais de 50 horas de programação plenária apresentando as mais recentes atualizações dos líderes de hoje em medicina urológica.
  • Programas a não perder, como Crossfire: Controversies in Urology; Casos de segunda opinião; Técnicas Cirúrgicas: Dicas e Truques; Tribunal está em sessão; e mais!
  • 80 cursos de instrução -spanning o espectro de urologia-PLUS uma série de hands-on cursos que lhe permitem expandir suas habilidades sob a orientação de especialistas.
  • Novos programas inovadores, como Survivor Debate, onde os debatedores usam seus conhecimentos e persuasão para evitar serem eliminados da ilha!
  • Mais de 2.500 resumos científicos de todos os cantos do mundo, apresentados como sessões de pôster, pódio e vídeo.
  • Oportunidades para expandir sua educação, interagir com colegas e explorar as mais recentes tecnologias em medicina urológica na Science & Technology Hall .
  • E muito mais!

Estamos ansiosos para vê-lo em San Francisco !

O Urologista Cássio Andreoni esteve por lá e postou alguns vídeos no seu 

> Saiba um pouco mais sobre a obesidade! <

mar 16

Diabetes tipo 2: quais alimentos podem ajudar a controlar?

Uma doença que atinge grande parte da população brasileira, é o diabetes tipo 2. E ela acontece, porque o pâncreas, não consegue mais produzir a quantidade necessária de insulina que o organismo necessita.

O primeiro passo, para quem sofre de diabetes tipo 2, é eliminar o açúcar de sua dieta diária, ou seja, consumir o mínimo possível de alimentos que possuam glicose. Está querendo uma alimentação mais saudável para ajudar a controlar sua diabetes tipo 2? Então iremos lhe ajudar.

Confira agora 5 alimentos que ajudam a controlar o diabetes tipo 2.

  • Linhaça

Uma semente com altos índices de magnésio, alto agente no controle de glicemia e ainda ajuda a liberar mais insulina em nosso organismo.

Muito nutritiva, rica em gorduras boas e fibras. Pode ingeri-la todo os dias, de preferência, no café da manhã.

  • Maçã

Essa fruta é extremamente rica em pectina, fibra que auxilia o mau colesterol e no controle da glicemia. Sem contar que é uma ótima fonte de vitaminas, contribuindo também para maior saciedade e não possui muitas calorias, uma unidade possui cerca de 80 calorias.

  • Batata doce

Mesmo sem batata, ela é muito rica em fibras, absorvendo a gordura do organismo e ajudando a reduzir o colesterol e a glicemia.

A batata doce consegue evitar que o açúcar se eleve no sangue, evitando os chamados picos de açúcar que prejudicam tanto quem sofre de diabetes tipo 2.

Pode consumi-la duas vezes por semana, de preferência, assada.

  • Abacate

Ótima fonte de gorduras boas, o que o torna calórico, mas se consumi-lo com moderação, é um excelente auxiliar na retardação da digestão, evitando que o açúcar chegue muito rapidamente na corrente sanguínea.

Pode consumi-lo uma vez por semana.

  • Brócolis

Rico em fibras, vitamina C e um excelente antioxidante. Ajuda muito também na saciedade, sem contar que ele contém cromo, um mineral essencial para o controle da glicemia no sangue.

Consuma ao menos uma vez por semana.

  • Iogurtes sem gordura

Quer conhecer mais receitas saudaveis? clique AQUI

Iogurtes que possuam baixo de teor de gorduras, são ótimas alternativas para quem sofre de diabetes tipo 2. Com gorduras saturadas reduzidas, que se consumidas em excesso também ajudam a favorecer problemas cardiovasculares, vilões para quem possui diabetes tipo 2.

Alimento muito rico em cálcio, excelente agente no combate ao acúmulo de gorduras.

  • Peixes de águas profundas e frias

Sardinha e salmão, são peixes de águas frias e profundas, como também a cavalinha e o atum, ótimos para a saúde por seus altos níveis de ômega 3.

Pesquisas afirmam, que o consumo desses peixes, diminuem a incidência de diabetes tipo 2 e ainda diminuem a concentração de glicose em nosso organismo.

Viu como é simples inserir alimentos de nosso cotiado para o controle do diabetes tipo 2? Inclua esses alimentos em sua dieta e verá como seu índice glicêmico irá reduzir bruscamente.

fev 22

Quais são os sintomas da febre amarela

Um dos temas mais debatidos ultimamente é a febre amarela. Isso por que trata-se de uma doença que pode se manifestar de forma grave, levando a pessoa a óbito. Por isso, é importante conhecer as formas de contágio, de prevenção e também os sintomas dessa doença.

Assim é possível evitar que ela seja contraída, ou pelo menos saber o momento certo de buscar por ajuda médica. E para você se manter informado, vamos conversar sobre isso neste artigo. Continue lendo e descubra quais são os sintomas da febre amarela e outras informações sobre essa doença.

Os sintomas da febre amarela

Vamos começar falando sobre eles, porque muitas pessoas não sabem como diferenciar essa doença de outras. Também porque é importante não se automedicar, já que algumas substâncias acabam agravando o quadro da pessoa, podendo levar à morte.

Quando alguém contrai a febre amarela os sintomas nem sempre se manifestam, ou são fracos e não incomodam muito. Isso por que a forma mais comum da doença é aquela de baixa gravidade, quando o organismo se cura sozinho.

De toda forma, os sintomas inicias da febre amarela surgem de forma repentina e duram cerca de 3 dias. São eles:

  • febre alta;
  • dor de cabeça;
  • dor muscular;
  • cansaço;
  • calafrios;
  • náuseas e vômitos.

Quando a pessoa contrai a forma mais grave da febre amarela, depois desses sintomas ela sente dois ou três dias de bem-estar, em seguida, manifestam-se sensações mais intensas, sendo:

  • olhos e pele amarelados (icterícia);
  • insuficiência hepática e renal;
  • cansaço intenso;

É de extrema importância que a pessoa busque ajuda médica, mesmo que esteja apresentando apenas os sintomas iniciais da doença. O especialista a avaliará para identificar a forma da doença e sugerir o tratamento adequado, a fim de evitar complicações maiores.

Contágio e prevenção

A melhor forma de evitar sofrer desse mal é com a devida prevenção, e para isso, é importante conhecer a forma de contágio. A febre amarela é causada por um vírus, e ele é transmitido pela picada de mosquitos.

Em meio urbano, quem transmite o vírus da febre amarela é o Aedes aegypit. Ele pica pessoas ou macacos infectados e transmite o vírus para outros indivíduos. Assim, a doença não é transmitida pelo macaco, mas sim pelo mosquito.

Então, a prevenção deve começar com o combate aos focos do Aedes, da mesma forma como nos prevenimos contra a dengue. Também é importante tomar a vacina, que é oferecida gratuitamente em postos de saúde.

Porém, esteja atento às restrições da vacina, que como todas as demais, não pode ser administrada em alguns grupos de pessoas, nesse caso, bebês, idosos, alérgicos a ovo e outras substâncias, pessoas imunodepressivas, entre muitas outras.

Informe-se com um profissional de saúde para saber se você pode tomar a vacina, se não puder, não se preocupe. Basta combater os focos do mosquito em sua casa e usar um repelente contra insetos.

Ao menor sinal dos sintomas da febre amarela, procure ajuda médica. Não espere o quadro se agravar e nem se automedique, para evitar as complicações que isso pode causar. E não se esqueça de que o combate ao mosquito é essencial para proteger toda a sociedade, e a vacina é fundamental para erradicarmos essa doença.

Você pode saber mais sobre a Febre Amarela clicando aqui

jan 10

Transplante de útero: o primeiro da América Latina

O transplante de órgãos é um procedimento médico que ajuda a salvar a vida de pessoas que apresentam complicação ou limitação de alguma função orgânica. Podem ser transplantados órgãos como o coração, os rins, fígado, córneas, entre outros.

Transplante de Útero

Mas você sabia que também existe o transplante de útero? Essa é uma cirurgia que já acontece nos Estados Unidos e também na Turquia, porém, ainda era novidade na América Latina, o que inclui o Brasil.

Porém, em 2016 foi realizado no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) o primeiro transplante de útero da América Latina, em uma mulher de 28 anos de idade.

A diferença dessa cirurgia realizada no Brasil para aquelas feitas nos outros dois países, é que por aqui foi utilizado o órgão de uma mulher que já havia falecido, enquanto nos outros casos a doadora era viva.

Vantagens do doador com óbito

A vantagem de utilizar-se uma doadora diagnosticada com óbito é que não arrisca-se a vida e saúde de uma mulher ainda viva para que outra possa realizar o sonho de ser mãe. Sim, porque o órgão transplantado mantém suas funções.

A prova disso é que em dezembro de 2017 a mulher que recebeu o transplante gerou o seu primeiro filho. Ela possuía a síndrome de Rokitansky, ou seja, havia nascido sem o útero. E para ter o seu primeiro filho foi realizada uma fertilização in vitro, para garantir que o casal teria embriões saudáveis.

Foram utilizados os materiais dela e de seu marido para a fertilização, então, os embriões ficaram aguardando até o término do transplante e a recuperação da mulher para serem implantados no útero.

A Gestação

A gestação correu sem complicações e foi acompanhada pelos médicos e pesquisadores de perto. Com 36 semanas o parto por cesariana aconteceu e o bebê nasceu saudável. Esse tempo é média gestacional para mulheres com úteros transplantados. Porém, após o parto é feita também a retirada do útero transplantado, em função do tratamento de imunossupressão.

Esse transplante e gravidez são casos únicos no mundo, resultantes do estudo que integra o projeto de pesquisa da  Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e com apoio do Hospital das Clínicas.

Todo o processo teve a aprovação do comitê de ética em pesquisas e passou por testes anteriores em animais e cadáveres. Outras duas mulheres também participaram do estudo, porém, elas não tiveram sucesso com suas gestações.

Por isso esse caso é tão importante. Além de ser o primeiro transplante de útero da América Latina, o órgão partiu de doadora falecida e ainda foi possível concretizar uma gestação.

Esse é começo de novos passos para mais alternativas de possibilitar que casais realizem o sonho de ter um filho, mesmo que a mulher não possua o útero.

 

 

dez 25

: Novo método de tratamento combate doenças com alteração de gene

Diversas doenças que atingem os seres humanos estão relacionadas com seus genes. São doenças hereditárias, mutações e outras alterações que fazem com que o DNA de uma pessoa provoque distúrbios orgânicos.

Porém, existe uma técnica chamada de Crispr-Cas9 que se trata de uma edição genética. Por meio dessa técnica é possível fazer recortes no DNA das pessoas e mudar a composição do seu código genético. Com isso, é combate-se doenças como a diabetes tipo I, lesões agudas nos rins e distrofia muscular.

No entanto, um melhoramento dessa técnica, desenvolvido por pesquisadores do Instituto Salk, na Califórnia (EUA), possibilitou uma alternativa para alteração de gene sem que fosse preciso fazer esse recorte na composição genética.

Sob liderança de Hsin-Kai Liao, os pesquisadores agora podem usar essa técnica Crispr aprimorada e reduzir o risco de acontecerem mutações indesejadas. Enquanto na  primeira técnica utiliza-se uma proteína viva, no novo método utiliza-se uma proteína considerada morta, e alcança-se o ponto específico do mesmo jeito.

A correção do DNA é feita sem cortes e de uma forma indireta. É estimulado o mecanismo conhecido como epigenética utilizando-se um vírus. Ele modifica o meio onde o gene será inserido, e assim, o DNA é preservado íntegro, porém altera-se.

Doenças que foram tratadas por meio dessa técnica

Ainda em estudo, a nova técnica por enquanto apenas foi testada em camundongos. Porém, bons resultados já foram observados para tratamento do diabetes, da distrofia muscular e insuficiência renal. Sendo:

Na diabetes tipo 1:

A resposta ao tratamento se deu nas células do pâncreas, que voltaram a produzir insulina.

Na distrofia muscular:

Foi possível recuperar o crescimento muscular das cobaias, aumentando a manifestação dos genes normais e reduzindo aqueles que estavam provocando a doença.

Na insuficiência renal:

A técnica foi aplicada com sucesso para a desativação dos genes que provocam o mau funcionamento dos rins.

Porém, ainda é preciso aprofundar os estudos para saber se o tratamento provoca efeitos, para isso, as cobaias são observadas a fim de analisar se é possível utilizar o método em humanos. Se os resultados se mostrarem satisfatórios, então, espera-se que dois de seus benefícios sejam para tratamento do Mal de Parkinson e de Alzheimer.

Essa nova técnica de alteração de gene foi aprimorada no ano de 2012 e já foi utilizada em outras áreas de conhecimento também, como na criação de porcos para que não contraiam viroses, também na criação de amendoins que não causem alergias, cães extra musculosos, trigo que resista ao ataque de pragas e também alterações no genoma de embriões humanos.

Essa é mais uma esperança para quem ainda convive com males que no momento a medicina não pode curar. Também uma nova tecnologia que vai permitir alcançar mais qualidade de vida e melhor aproveitamento de recursos em vários setores.

 

dez 18

Dor nas costas: saiba quando é possível tratar esse problema

Quem nunca sentiu uma dor nas costas, seja na parte mais alta da coluna ou então na região da lombar? A dor nas costas é a principal causa de afastamento do trabalho no Brasil e praticamente todo mundo já sentiu um incômodo nessa região, seja por sentar-se de forma inadequada ou então por fazer esforço demais.

Mas há bamboem quem conviva com essa dor todos os dias, ela parece que nunca vai passar. Esse é um grande tormento, já que a convivência com a dor pode interferir no rendimento pessoal e causar desânimo, cansaço, ansiedade, depressão e estresse.

E neste artigo vamos falar um pouco sobre esse mal para que você entenda quando é possível tratar a dor nas costas e se livrar dela.

Por que a coluna dói?

O que sustenta o nosso corpo em pé é a coluna, e por isso, a pessoa pode sentir dores nessa região. É muito comum que as dores na coluna se manifestem quando a pessoa assume uma postura inadequada, seja para dormir, ao sentar-se, ao trabalhar ou desempenhar alguma atividade.

A sobrecarga de peso na coluna também pode provocar dores, e esse é um problema frequente, porque as pessoas assumem uma postura errada na hora de levantar peso. O ideal é que os joelhos sejam flexionados para que o peso do objeto seja sustentado pela pernas.

Mas o que acontece é que costuma-se dobrar a coluna para frente e levantar o objeto, o que força a região da lombar. Essa, aliás, é a parte mais afetada da coluna, porque sendo sua última parte, ela é o que sustenta todo o peso do corpo. A coluna dói, então, quando:

  • realizamos movimentos que forçam as vértebras;
  • colocamos sobrecarga nela;
  • adotamos uma postura errada;
  • quando ela sofre impactos e vibrações.

É comum que pessoas que trabalham muito tempo, em pé ou sentadas, que realizam movimento de rotação na coluna ou que carregam peso, sintam com mais intensidade as dores na coluna. E essas dores podem atingir também as pernas.

As dores de coluna interferem nas atividades diárias e podem fazer com que a pessoa tenha que afastar-se do seu taralho e suas tarefas. E elas podem se manifestar de forma aguda ou crônica.

Dores de coluna agudas

As dores agudas na coluna são aquelas que se caracterizam por serem passageiras. A dor vem, é tratada e logo vai embora, pode ou não reincidir, mas não duram por mais do que 12 semanas.

Dores de coluna crônicas

Já quem sente dor crônica na coluna pode sentir esse incômodo por mais de 12 semanas e sentir a dor o tempo todo. Não consegue cumprir suas atividades e não vê a dor aliviar. Há pessoas que convivem a vida toda com essa dor.

Quando a dor nas costas tem tratamento?

Sempre é possível aliviar a dor nas costas de um paciente. Ela pode acontecer por motivos muito variados, desde um simples mal jeito na coluna até a presença de uma hérnia, artrose, infecção ou inflamação, entre outros.

Por isso, o ideal é procurar pelo especialista para conhecer as causas da dor e então adotar o melhor tratamento. Ele vai depender do fator que tem provocado o incômodo. Há casos em que os medicamentos conferem o alívio, outros que é preciso fazer fisioterapia, a redução do peso corporal, a prática de atividades físicas. Entre outros.

Para caso que não têm cura, como a artrose, a pessoa deve adotar outros hábitos para minimizar o desconforto, como fazer atividades físicas, usar a medicação e por vezes também a suplementação de colágeno.

Mas cada caso é um caso, e por isso, o melhor tratamento é aquele indicado pelo especialista depois de analisar e avaliar todo o quadro do paciente. Por isso, quem sente dores de coluna deve sempre procurar por um especialista a fim de obter um diagnóstico preciso e realizar o tratamento adequado e se ver livre desse incômodo ou pelo menos minimizar a dor que sente.